sexta-feira, 13 de abril de 2012

NEM DISPUTA NEM APOIA

O deputado João Paulo não vai disputar as prévias no PT para escolha do candidato do partido a prefeito do Recife nem tampouco manifestará apoio ao candidato Maurício Rands, adversário do prefeito João da Costa, apoiado pelo governador Eduardo Campos (PSB).

O ex-prefeito não tem chances de vitória e chegou a conclusão de que Rands também está fragilizado na disputa, mesmo encarado como a alternativa palaciana.

No caso de uma derrota de Rands, estando João Paulo em seu palanque, a derrota não seria apenas do dissidente que se opõe à reeleição de João da Costa, mas o próprio João Paulo entraria no rol dos derrotados, pois estariam ali as suas digitais.

Ficando neutro e em caso de vitória do prefeito, João Paulo não teria sua imagem chamuscada. E como está completamente descartada a possibilidade dele em apoiar o prefeito, por razões óbvias, ficaria de fora da campanha sem cobranças do PT, podendo, inclusive, apoiar uma candidatura no campo da Frente Popular.

No caso, por exemplo, de o bloco alternativo apresentar um nome competitivo. João Paulo, portanto, tende a ficar de fora da disputa das prévias, não movendo, também, uma palha para favorecer Rands.

TESTEMUNHA – A conversa decisiva que os pré-candidatos a prefeito do Recife pelo PMDB, Raul Henry, e DEM, Mendonça Filho, anteontem, em Brasília, teve apenas uma testemunha: o também deputado federal Augusto Coutinho (DEM), cunhado de Mendonça. O encontro durou apenas 30 minutos, porque ambos acham que têm chances de chegar ao segundo turno, mesmo estando o bloco da oposição dividido em quatro candidaturas irreversíveis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário